Kuala Lumpur: O Guia Definitivo

Hello :)

Kuala Lumpur ou KL, como é carinhosamente chamada por seus moradores, é a capital da Malásia e maior cidade do país. Com mais de 1,8 milhões de habitantes. Mas nem sempre a “cidade do rio lamacento”, significado de Kuala Lumpur em malaio, foi assim.

Fundada 1857 apenas como um posto de mineração de estanho. Sem uma rica história como a cidade de Malaca (colonizada pelos portugueses) ou George Town (colônia britânica). Kuala Lumpur em pouco tempo começou a prosperar e tornou-se capital Malaia em 1896.

A independência da Malásia foi declarada, em 1957. E a proclamação foi auferida na Merdeka Square, em frente à uma grande multidão. Kuala Lumpur continuou como capital da nova nação.

O boom econômico em 1990 fez com que em apenas 150 anos a pequena aldeia chinesa de mineração passasse a ser uma das metrópoles mais importantes do sudeste asiático. Com isso grandes arranha-céus e sistemas de transporte modernos foram construídos na cidade.

A Malásia é uma país bem interessante do ponto de vista étnico. É formada por: Malaios (67%), que são maioria, os Chineses (25%) e os Indianos (8%). A grande diferença é que, eles dificilmente “se misturam”. Por isso que nunca se tornaram “um só povo” como nós, brasileiros. Cada um vive em seus bairros e regiões. Criando uma espécie de grandes guetos urbano. Minha conclusão foi que: apesar de ser “cada um no seu quadrado”, eles vivem em harmonia.

Quando ir a Kuala Lumpur

Petronas Twins Tower
Janeiro – Petronas Twins Tower

Você pode ir em qualquer época do ano.

Eu fui em Kuala Lumpur duas vezes.

Uma vez Janeiro e outra em Março. Em janeiro estava bastante nublado, já em Março o céu estava maravilhosamente lindo. :) Mas nas minhas duas estadias houve dias de chuva. KL é muito úmida por isso, acho difícil ter vários dias seguidos sem chuva.

As temperaturas médias anuais 30 graus Celsius até 33.

Março e Abril; Setembro a Novembro – são os meses mais chuvosos em Kuala Lumpur

Dezembro a Fevereiro; Maio até agosto – são os melhores meses para visitar, porém pode ocorrer chuvas nesses meses também, apenas a probabilidade é menor. O mês com menos ocorrências de chuvas é em Julho.

Coloquei essas duas fotos para você ter uma ideia de como é o clima em Janeiro, onde as chuvas aconteciam todas as tardes as 16h começava, e em Março.

Vista das Petronas do parque que fica em frente ao shopping Suria
Março – Vista das Petronas do parque que fica em frente ao shopping Suria

Visto para a Malásia

Para nós brasileiros, não é necessário solicitar com antecedência.

O visto é concedido na entrada do país. No aeroporto, fronteiras ou nos portos.

Para conseguir o visto basta:

  • Passaporte brasileiro válido e com mais e ter mais de 6 meses para o seu vencimento e
  • O cartão internacional contra febre amarela expedido pela ANVISA.

Não há valor cobrado, é de graça.

A validade do visto de turista são 90 dias.

A maioria dos países do Sudeste Asiático são bem tranquilos na entrada brasileiros, ou seja, graças a Deus temos uma boa relação diplomática com eles. :)

Como Chegar em Kuala Lumpur

Tem como chegar na capital por via aérea ou terrestre

Malaia no aeroporto KLIA 2.  O aeroporto só tem praticamente voo da AirAsia, Hub da companhia.
Malaia no aeroporto KLIA 2. O aeroporto só tem praticamente voo da AirAsia, Hub da companhia.

De Avião

Se você for do Brasil, Europa, Africa, se não for de algum país por perto a entrada será pelo Aeroporto KLIA que fica a mais de 55km do centro de Kuala Lumpur. Se programe! É bastante chão.

Se você for da Tailândia, Cingapura ou algum país do sudeste asiático, a entrada será pelo KLIA 2 é basicamente o mesmo aeroporto, mas os terminais são distantes um do outro. Teve um amigo que perdeu o voo porque foi para o terminal errado.

De carro

Essa é uma rota para se você estiver em Cingapura e quiser enfrentar os 350km de estrada. Ou em alguma cidade Malaia da parte do continente ou na Tailândia. Porém a Airasia, melhor low cost do sudeste asiático, é Malaia então tem vários destinos que tem levam para KL, já que é o HUB da empresa. E é tão barata que vale mais a pena fazer o trajeto de avião.

Como sair do aeroporto de Kuala Lumpur

Como o aeroporto fica a mais de 55km do centro da cidade, eles criaram boas alternativas.

Balcão de compra de ticket da companhia Skybus
Balcão de compra de ticket da companhia Skybus

Trem

Tem dois tipos de trem

  • KLIA Ekspres: Vai da estação KL Sentral até KLIA e depois KLIA 2 que dura aproximadamente 33 minutos e mais 3 minutos entre KLIA e KLIA2
  • KLIA Transit: esse trem faz 3 paradas no meio do caminho entre a KL Sentral até KLIA e KLIA 2 e leva aproximadamente 40 minutos

Ônibus

Tem várias empresas de ônibus que faz o trajeto até a KL Sentral. É bem mais barato do que o trem. Então se você tem tempo essa é uma boa opção, tem ar condicionado e os ônibus estão em bom estado. Eu não comprei antecipadamente, comprei no KLIA 2 aeroporto mesmo, no balcão da Skybus. O percurso leva em média 1 hora.

Táxi

Como o aeroporto fica super longe, logo, o táxi é uma opção cara. Eu não sei o motivo, mas tudo é novo em Kuala Lumpur: ônibus; trens; metros porém os táxis são super velhos e mal cuidados.

Por isso uma boa opção é: ao invés de pegar táxi utiliza o Uber, que é mais barato e os carros são melhores.

Estadia em Kuala Lumpur

Palácio onde o Rei de Kuala Lumpur mora.
Palácio onde é a moradia do Rei de Kuala Lumpur mora.

Kuala Lumpur tem vários bairros, para diferentes tipo de turistas. Vou listar os mais procurados.

Bukit Bintang

Esta área é a mais popular entre os moradores de KL e turistas. Tem hotéis para todos os bolsos e tem uma noite agitada, ou seja as ruas não são esquisitas, sempre tem gente andando e tem vários shoppings, restaurantes. Eu acho o melhor lugar da cidade para ficar. A segunda vez que eu fui fiquei nesse bairro e amei! o Hotel foi o Metro Hotel Bukit Bintang. Super indico! :)

Central Market

Outro lugar também bom para se hospedar é perto do central market. Mas quando eu digo perto é perto mesmo, porque tem algumas áreas por lá que não são muito iluminadas e quando anoitece fica vazio. Por isso, procura perto do mercado, sempre tem movimento, mesmo a noite. A primeira vez que fui a Kuala Lumpur fiquei no Pacific Express Hotel, fica atrás do Central Market. ótima localização!

Chinatown

Fica bem perto do Mercado Central. Eu não curtir muito a chinatown de KL. Porque não é um lugar que remete a cultura chinesa é um mercado com foco em produtos falsificados. Tem várias ruas próximas que não tem aquele ar amigável, porém fica bem perto do mercado central, então eu acho melhor ficar pelo mercado central mesmo.

Triângulo de Ouro

Esse nome se dá a uma parte da cidade que engloba alguns bairros, mas a parte mais comercial deles e as três principais avenidas: Jalan Imbi, Jalan Sultan Ismail e Jalan Raja Chulan formam um triângulo que faz fronteira com toda a área. A Rua Bukit Bintang mesmo faz parte dessa área.

Sempre reservo Hotel por essas duas grandes empresas e nunca tive problemas:

Procurar Hotéis pelo Agoda (site em inglês, porém muitas vezes mais barato) clique aqui
Procurar Hotéis pelo Booking (site em português) clique aqui.

Como se locomover em Kuala Lumpur

Tem várias opções, é uma cidade com um bom transporte público e o metrô mais barato que já paguei em minha vida.

Metrô

A Cidade em bem abastecida de metrô, todos os pontos turísticos e lugares que eu visitei foram usando esse meio de transporte e o restante a pé. Eu gosto bastante utilizado, porque evita o trânsito.

Ônibus

Os ônibus de linha são bem conversados mas eu não utilizei.

Desde 2012 existe os ônibus GoKL, que é de graça. Tem várias linhas que ligam os lugares mais turísticos da cidade.

Eu não utilizei mas um casal de noruegueses que conheci em KL, me disseram que utilizaram e o serviço era ótimo, mas como não tem uma ampla divulgação, a maioria das pessoas que utilizam, são moradores para não gastar com as passagens de ônibus. :)

Táxi

Como já falei os táxis não condizem com os valores que se paga tanto na passagem de ônibus, metro ou trem. São velhos e caro. Utilizei apenas uma vez. Meu voo era muito cedo e o metro estava fechado aquele horário.

Não usei o Uber, porque na época não tinha baixado o aplicativo no meu celular.

Trem

O trem é para quem vai para o subúrbio ou outras cidades.

O que fazer em Kuala Lumpur

Kuala Lumpur não tem os incríveis templos de Bangkok ou o charme e luxo da cidade de Cingapura, mas tem seus atrativos, vamos ao que interessa

Batu Caves

Esse foi o lugar mais incrível que eu conheci na Malásia. Bem diferente e único. São três cavernas no mesmo complexo. Essas cavernas possuem formações geológicas com mais de 400 milhões de anos.

Como se não bastasse tudo isso, eles ainda fizeram o maior tempo Hindu do deus hindu Murugan, com uma estatua dourada de sua imagem com 42 metros de altura. São mais de 250 degraus até chegar no templo e vários macacos os longo do caminho.

A caverna de Ramayana é maravilhosa por dentro, com vários deuses em todos os lugares, vários altares. Achei ela linda, super vale a pena e custa apenas uns 5 reais.

Já o templo de Murugan, quando você chega lá em cima o que chama mais atenção são as rochas e formações geológicas, já que o templo não esta bem cuidado, pelo menos é de graça.

A Dark Cave, que é uma caverna com algumas fauna e flora que só existe lá é paga, pois é com o dinheiro da entrada do turistas que eles mantêm o local. É interessante mas eu não pagaria novamente para ir. Custa uns 30 reais.

Templo do deus hindu Vishnu
Templo do deus hindu Vishnu
Dentro do Templo de Ramayana, muito mais bonito do que o de Murugan
Dentro do Templo de Ramayana, muito mais bonito do que o de Murugan
Entrada para o templo de Murugan e para a Dark Cave
Entrada para o templo de Murugan e para a Dark Cave
Dark Cave - Fica na metade da subida para o templo de Murugan
Dark Cave – Fica na metade da subida para o templo de Murugan
O templo principal da Batu Caves - depois de 272 subir degraus
O templo principal da Batu Caves – depois de 272 subir degraus

Central Market

Inaugurado em 1936, o mercado fica em um edifício art deco. Primeiramente o mercado era cheio de barracas onde a maioria vendiam carnes de boi. A partir de 1980 eles transformaram em um mercado com barracas que vendessem produtos para promover a arte e a cultura da Malásia. E ele continua assim até hoje.

O interior é dividido em áreas temáticas que representam a população diversificada do país. que incluem Lorong Melaya, lojas vendem artesanato Malaio; uma réplica de Jonkers Street de Malacca; e Little India.

É o melhor lugar para comprar artesanato local. São muitas lojas. E tem uma praça de alimentação só com restaurantes malaio ou comida asiática. Ocidente não tem espaço. E do lado de fora do mercado tem o Kasturi walk, que são várias barraquinhas e restaurantes. :)

Por do sol no Central Market
Por do sol no Central Market
Kasturi Walk ao lado do Central Market
Kasturi Walk ao lado do Central Market

Chinatown

Bem perto do Central Market fica a Chinatown, como eu já falei anteriormente, eu não curti muito a de KL, não achei que ela tinha um “ar chinês”, culturalmente falando, Mas tem vários prédios com lindas arquiteturas no caminho entre o mercado central e a chinatown.

Merdeka Square e o edifício Sultan Abdul Samad

Foi na Merdeka Square, considerada o coração de Kuala Lumpur, que a independência foi proclamada e a primeira vez que a bandeira da Malásia foi hasteada, em 31 de agosto de 1957. Tem vários pontos de interesse perto da Merdeka.

Em frente a Merdeka Square fica o Sultan Abdul Samad. Prédio construído na época da dominação britânica para servir de departamentos administrativos. Hoje em dia o prédio é um museu que conta um pouco da história da Malásia. a entrada é gratuita.

O prédio que foi construído pelos britânicos para a administração da colônia malaia e hoje é em dia abriga um museu
O prédio que foi construído pelos britânicos para a administração da colônia malaia e hoje é em dia abriga um museu

City Gallery

Ela é o ponto de promoção histórica e cultura da cidade. Um lugar onde os turistas podem pegar mapa e todas as informações sobre o que está acontecendo na cidade e passeios turísticos na capital como por cidades vizinhas. E é lá que fica o famoso “I Love KL”.

Masjid Jamek

A mesquita mais antiga da capital. A construção foi finalizada em 1909. Pelo arquiteto inglês Arthur Benison Hubbock, que foi inspirada nas mesquitas mongóis construídas na Índia. A visita acontece todos os dias fora do horário de orações. Porém para entrar precisa está com vestido adequadamente. A entrada em gratuita.

Mesquita Nacional

Essa mesquita tem um design bem diferente do que estamos acostumados. Ela tem uma arquitetura contemporânea. Ela foi inspirada na grande mesquita que existe na cidade de Mecca, na Arábia Saudita. O topo da mesquita representa os 5 pilares do islamismo e os 13 estados da Malásia e a cúpula cúpula lembra um guarda-chuva aberto que simboliza a aspiração de independência da Malásia.

A visita acontece todos os dias fora do horário de orações. 9h as 12h; 15h as 16h; 17:30 as 18:30; está última apenas nas sextas  Porém para entrar precisa estar com roupa adequada. A entrada em gratuita.

Mesquita Nacional
Mesquita Nacional

Museu Nacional

O museu funciona desde 1963. O museu tem vários artefatos e exibições sobre toda a história e cultura Malaia. O museu conta com 4 galerias principais: Histórias Passadas, Sobre os Reinos da Malásia, A Era Colonial e Malásia Nos Tempos Atuais. Aberto todos os dias das 9:00 as 18:00.

Thea Hou Temple

Esse templo chinês fica um pouco mais afastado do centro, mas eu indico demais. Ele está localizado no Robson Heights ao longo Lorong Bellamy, com vista para Jalan Syed Putra (Rodovia Federal). Foi concluído em 1987 e inaugurado oficialmente em 1989. O templo foi construído pela comunidade Hainanese que vive em Kuala Lumpur, e é dedicado à Deusa Tian Hou (A Mãe do Céu).

O Templo Chinês Thea Hou
O Templo Chinês Thea Hou

Menara KL – KL Tower

É a sétima torre de televisão mais alta do mundo com 421 metros. Pode subir até o deck de observação que fica a mais de 270 metros de altura.

KL Tower foi aberta ao público desde 1996. Tem várias atrações na torre como: Aquário de coral, sala de cinema e uma vista incrível da cidade e bem mais barata que a Petronas Tower. Eu não fui, mas para quem curte, fica a dica!

Torre Menara KL
Torre Menara KL

Petronas Tower

É quando você fica de frente para essas duas torres gigantes, gêmeas, de 452 metros de altura cada uma, que você pensa “Cheguei em Kuala Lumpur!”.

É impressionante a capacidade da engenharia construtiva do homem, e nada como esses arranha-céus para demonstrar. Em baixo das Petronas tem o shopping Suria KLCC e em frente a ele tem um jardim lindo que é de onde tem os melhores ângulos para tirar as melhores fotos da torre.

Para subir na torre não precisa marcar com antecedência. Fui lá me informar e tinha vários horários no dia. Eu não subi na petronas, por quê? É caro e você perde a visão da obra arquitetônica mais importante da cidade que é ela mesmo.

Dxica: Vale muito mais a pena você subir de graça no SkyBar. É um bar que fica no topo de um hotel. Você tem acesso ao hotel com uma curta caminhada pelo KLCC park e tem a vista da cidade com as Petronas, detalhe não precisa pedir bebida, se for ficar pouco tempo, se quiser curtir a vista, a Guiness é uma boa pedida :)

Vista das Petronas  no Sky Bar
Vista das Petronas no Sky Bar

Butik Bintang

É um ótimo lugar para você terminar seu dia em Kuala Lumpur, dá uma volta pelo bairro que tem várias lojas, bares, restaurantes, baladas e depois sentar em algum barzinho ou restaurante por lá e tomar uma Tiger.

Onde comer em Kuala Lumpur

Tem vários lugares, a cidade é enorme, vou listar alguns

Jalan Alor

É uma das principais ruas do bairro de Bukit Bitang. São várias barraquinhas com mesas na rua. Você pode dar uma caminhada para ver como funciona e se ambientar com o clima. A que você achar interessante é só sentar e pedir o cardápio. É super normal comer na rua aqui pelo sudeste asiático. E digo mais: foram os lugares que provei as melhores comidas dessa parte do globo.

Jalan Alor a noite. Todos os restaurantes com as mesinhas na rua
Jalan Alor a noite. Todos os restaurantes com as mesinhas na rua

Central Market

O mercado central é 3 em 1, lugar para conhecer, comprar e comer! :) Tem uma praça de alimentação só com restaurantes malaio ou comida asiática. Ocidente não tem espaço. E do lado de fora tem o Kasturi walk, que tem vários restaurantes e algumas fast food, eu comi umas duas vezes em um restaurante indiano que ficava no começo da Kasturi walk, tudo lá era delicioso.

Sushi King

Se você assim como eu, ama um sushi, aqui é o lugar. Os peixes sempre estão frescos, e é bem limpo o lugar. Todas as tardes das 15h até 18h eles tem um Happy Hour. Qualquer peça fica com 20% de desconto. É um jeito bem diferente de comer sushi, eles colocam em uma esteira e passa por todas as mesas, o prato que você quiser, pega. No final, o garçom conta os pratos e você paga. O preço é parecido com Brasil :)

Restaurante Sushi King dentro do shopping Suria
Restaurante Sushi King dentro do shopping Suria

Sky Bar

Se você quer tomar uma cervejinha, comer um tira-gosto e apreciar a vista. Super indico! Não é uma programação barata, mas o ambiente e o visual compensam.

Vista das Petronas  no Sky Bar
Vista a tarde das Petronas no Sky Bar
Vista do SkyBar
Vista a noite do SkyBar

Onde comprar em Kuala Lumpur

Tem lugares de compras para todos os tipos de bolso, a Ásia é assim, sempre fazendo de tudo para vender pra todo mundo. Vou listar os mais importantes da cidade

Central Market

Como já falei antes, Vende tudo o que você imaginar. É ótimo para quem gosta de comprar souvenir por todos os lugares do mundo que passa. Eu adoro, sempre levo alguma recordação para deixar em minha mesinha e não pode faltar um imã de geladeira. :)

Suria KLCC

É um shopping de luxo que ocupa seis andares das Petronas Twin Towers. Você irá encontrar de tudo um pouco. Tem lojas de luxo e outras para itens de uso diário, incluindo: Isetan, Cold Storage e Marks & Spencer e também uma revendedora autorizada da Apple. Tem também uma praça de alimentação fantástica, fora alguns restaurantes que ficam perto da saida que dá para o KLCC Park, o parque tem fontes de água e um parque infantil de dois hectares. Fora isso o Shopping ainda conta com um cineplex, livraria e um Centro de descobertas científicas e Aquário para as crianças.

Suria KLCC é conhecido pelos moradores como “o shopping dos turistas”, mas ainda assim muitos Malaios vão todo fim de semana.

Plaza Lowyat

É “O” shopping dos eletrônicos e, assim como o de Bangkok, ele é cheio e barulhento. Lowyat é o melhor shopping de tecnologia da cidade. Você vai encontrar centenas de pequenas lojas que vendem produtos como: câmeras, telefones, laptops, tablets e muito mais. Se você está à procura de acessórios eletrônicos, este é definitivamente o lugar para estar. Para obter descontos tem que barganhar bastante.

Pavillion KL

Inaugurado em 2007. O shopping oferece ótimas lojas. É bem mais chique que o Suria, das Petronas. Há muitas lojas de luxo, mas também lojas para compras gerais. Pavilion tem uma praça de alimentação grande e fora isso vários cafés, bares e restaurantes. Um ótimo shopping para turistas que curtem e fica bem pertinho do Plaza Lowyat.

Starhill Galllery

É o shopping mais luxuoso da cidade. Se você procura por exclusividade, esse é o seu lugar. Está localizado no bairro comercial de Bukit Bintang.

Quanto tempo ficar em Kuala Lumpur

Para você conhecer os pontos turísticos chaves em Kuala Lumpur apenas 2 dias inteiros é o suficiente, porém se você pensa em visitar Malacca ou alguma outra cidade vizinha, vale a pena colocar mais dias.

Valeu a pena ir para Kuala Lumpur?

Valeu demais, foi super interessante culturalmente. Um país vizinho a Tailândia, mas com costumes e forma de levar a vida completamente diferente. Acho que isso se dá principalmente por conta da religião muçulmana.

 

E você, já foi para Kuala Lumpur? Ficou alguma dúvida? Tem mais alguma informação que você adicionaria a este guia?

Deixe um comentário que farei questão de responder a todos :)

Até a próxima viagem!

Imagens: Arquivo pessoal 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *